31 de mai de 2011

O Pequeno Príncipe - CATIVAR



Meus verdadeiros amigos(as) não vejo há muito tempo, pouco temos nos falado ultimamente, mas não são como meus colegas, que tenho visto com mais frequencia, e me chama para uma cervejinha, uma mesa de bar, repara nas roupas e na vida dos outros, zombam com outros, os meus amigos(as) verdadeiras, mesmo longe estão orando por mim, e minha familia,minha vida TODOS os dias, os amigos(as) verdadeiros, quando querem me encontrar são para somar alegria, somar amor, somar oração, abençoar, desejar sempre o melhor, e dar um colo se preciso for, um ombro para chorar também.....NUNCA VIRAM as costas, bem diferente daqueles superficiais, que querem ser mais que colegas, mas quando viro minhas costas já estão caçoando, zombando da roupa, ou tirando algum tipo de sarro, porque no fundo a inveja faz isso com essas pessoas.Os meus verdadeiros amigos(as), JAMAIS me fazem separar de DEUS, os colegas sim e ainda falam de outros deuses, e quando tenho falar de um só DEUS sou zombada, também estou sentando na mesa de escarnecedores(Salmo 1), eu estou errada, conhecendo a palavra que uma vez me libertou e me colocou na LUZ!!!!O amigo(a) verdadeiro, repreende quando preciso, mesmo sabendo que possa ficar muito mal, mas é com amor pela minha vida, diferente dos colegas que aparentemente nada é errado e tudo é "normal"(beber, falar dos outros, fofocar, adulterar, prostituir, drogas)....pois um erro chama outro erro e "um abismo chama outro abismo.

Relacionamentos é complicado, discernir uma verdadeira amizade e um coleguismo , muitas vezes confundimos e nos decepcionamos.

O que torna o relacionamento humano inseguro e difícil é que as pessoas mudam de um momento para o outro. A indisposição toma o lugar da disposição, a antipatia toma o lugar da simpatia, o ódio toma o lugar do amor. Por razões várias, inclusive fisiológicas e éticas, a índole humana é instável.

A amiga(o) verdaeiro que sabe ajudar é uma raridade neste mundo egoísta. A maioria das pessoas está em busca de maneiras de conseguir algo para si.Não devemos ajudar ou dar porque recebemos algo em troca;devemos ajudar e dar porque é a coisa certa a fazer. Li isso e concordo baseado em verdadeiras amizades:"uma atitude de dar pode fazer maravilhas...Ela pode mudar corações, transformar mentes, escrever um novo começo e acrescentar um "felizes para sempre" no final."

É Clarisse Lispector me ensinou e sou como ela, não escrevo o que aprendo, escrevo o que sinto.....

E, também não poderia deixar meu companheiro Pequeno Principe de lado neste momento:



SOU COMO UMA RAPOSA MUITAS VEZES......PENSO E CONCORDO COM ELA EM MUITAS PALAVRAS QUE ELA FALOU:

"TODOS OS HOMENS SE PARECEM TAMBÉM....E POR ISSO EU ME ABORREÇO UM POUCO"



" A GENTE SÓ CONHECE BEM AS COISAS QUE CATIVA"....disse a raposa "OS HOMENS NÃO TEM TEMPO DE CONHECER COISA ALGUMA....."



"Um verdadeiro amigo é alguém capaz de tocar teu coração desde o outro lado do mundo."



AMIZADES SÃO FEITAS DE PEDACINHOS."





TRECHO DO LIVRO PEQUENO PRINCIPE: C A T I V A R





Pequeno Príncipe (trecho)







E foi então que apareceu a raposa:

- Bom dia, disse a raposa.

- Bom dia, respondeu polidamente o principezinho que se voltou mas não viu nada.

- Eu estou aqui, disse a voz, debaixo da macieira...

- Quem és tu? perguntou o principezinho.

Tu és bem bonita.

- Sou uma raposa, disse a raposa.

- Vem brincar comigo, propôs o princípe, estou tão triste...

- Eu não posso brincar contigo, disse a raposa.

Não me cativaram ainda.

- Ah! Desculpa, disse o principezinho.

Após uma reflexão, acrescentou:

- O que quer dizer cativar ?

- Tu não és daqui, disse a raposa. Que procuras?

- Procuro amigos, disse. Que quer dizer cativar?

- É uma coisa muito esquecida, disse a raposa.

Significa criar laços...

- Criar laços?

- Exatamente, disse a raposa. Tu não és para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos.



E eu não tenho necessidade de ti.

E tu não tens necessidade de mim.











Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás pra mim o único no mundo. E eu serei para ti a única no mundo... Mas a raposa voltou a sua idéia:

- Minha vida é monótona. E por isso eu me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei o barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros me fazem entrar debaixo da terra. O teu me chamará para fora como música.



E depois, olha! Vês, lá longe, o campo de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelo cor de ouro. E então serás maravilhoso quando me tiverdes cativado. O trigo que é dourado fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento do trigo...

A raposa então calou-se e considerou muito tempo o príncipe:

- Por favor, cativa-me! disse ela.

- Bem quisera, disse o principe, mas eu não tenho tempo. Tenho amigos a descobrir e mundos a conhecer.

- A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não tem tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres uma amiga, cativa-me!

Os homens esqueceram a verdade, disse a raposa.

Mas tu não a deves esquecer.

Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas"